Sustentabilidade

Sustentabilidade, ASG e PMEs: Um capitalismo consciente

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Contexto

“Risco climático é risco de investimento”.

A frase acima é de Larry Fink, presidente e CEO da BlackRock, onde em carta escrita aos CEOs, ele alerta para a mudança estrutural nas finanças decorrente das alterações climáticas.

O assunto clima parece que nunca esteve tão na moda como atualmente, isso tem a ver com a percepção que as pessoas e empresas estão tendo dos impactos reais em suas vidas, especialmente em 2020 devido a pandemia do COVID-19.

O risco existencial COVID-19 alerta para outros que possam ocorrer como o climático, tema que não é tão novo assim, mas está mudando a mentalidade das pessoas e empresas, e isso muda a forma delas decidirem sobre investimentos.

Sustentabilidade e ASG

O termo “sustentável” provem do latim sustentare (sustentar, defender, favorecer, apoiar, conservar, cuidar). Segundo Relatório de Brundtland (1987), o uso sustentável dos recursos naturais deve “suprir as necessidades da geração presente sem afetar a possibilidade das gerações futuras de suprir as suas”.

Especificamente sobre clima, há o Acordo de Paris, um tratado no âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (CQNUMC), que rege medidas de redução de emissão de gases estufa a partir de 2020, a fim de conter o aquecimento global abaixo de 2 ºC, preferencialmente em 1,5 ºC, e reforçar a capacidade dos países de responder ao desafio, num contexto de desenvolvimento sustentável. O acordo foi negociado em Paris durante a COP21, e aprovado em 12 de dezembro de 2015.

Mas o assunto desenvolvimento sustentável é mais amplo, a ONU – Organização das Nações Unidas, que tem representação fixa no Brasil desde 1947,  lançou em setembro de 2015, durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, em sua Assembleia Geral, uma agenda composta por 17 itens, denominado “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, onde a questão climática está definida no objetivo 13 – Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos (ODS13).

Já a sigla ESG (Environmental, Social and Governance) ou ASG em português (Ambiental, Social e Governança) surgiu pela primeira vez em um relatório de 2005 intitulado Who Cares Wins (“Ganha quem se Importa”), resultado de uma iniciativa liderada também pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Esses assuntos estão em destaque no mundo inteiro e nas finanças e devem ser aproveitados pois trazem propósito e geração de valor de longo prazo.

Ainda segundo Larry Fink (BlackRock): “O propósito é o motor da rentabilidade a longo prazo”.

PMEs – Pequenas e Médias Empresas

As PMEs representam cerca de 30% do PIB do país e, essas empresas, em 2019, foram responsáveis por 80% dos empregos gerados no Brasil.

Segundo pesquisa realizada pela Consultoria Falconi (Maio/2020), publicada no portal InfoMoney, apenas 10% das médias empresas no Brasil tem planejamento de logo prazo, ou seja, àquelas que declararam ter uma estratégia bem definida para os próximos três a cinco anos, com visão, missão, objetivos e metas definidas para o desenvolvimento do negócio.

A pesquisa revelou ainda que, embora 73,8% das médias empresas tenham definido prioridades para este ano, essas metas não estão fundamentadas no longo prazo.

Os impactos econômicos causados pelo COVID-19 nas empresas são crescentes e estudos indicam que a crise deixará mais de 12 milhões de pessoas desempregadas, elevando a taxa de desemprego de 11,6% para 23,8%. De acordo com pesquisas, pelo menos 600 mil pequenas empresas foram fechadas desde o início (dia 1 = 100 casos) da pandemia no Brasil, indica esta mesma pesquisa da Consultoria Falconi.

Essa pesquisa mostra quanto é desafiador para a PME e para os empresários brasileiros defenderem ações voltadas para “propósito e longo prazo”. Na realidade, há risco de as empresas priorizarem ações em muitas direções diferentes, até mesmo na contramão dos movimentos de mercado.

Mas há casos de sucesso também, inclusive de empresas familiares que estão conseguindo sustentar negócios e prosperar, na direção da Sustentabilidade e ASG, com muita determinação, inovação e estratégia.

Nós da Brasil Valuation acreditamos, incentivamos e ajudarmos pessoas e empresas a desenvolver o pensamento estratégico e de longo prazo na busca de um capitalismo consciente e mais responsável.

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Brasil Valuation

Somos especialistas em estruturação de empresas e negócios e nosso foco é diminuir riscos e aumentar a assertividade das tomadas de ações de empreendedores e empresas.

Solicite uma reunião gratuita

Você também pode gostar de:

CADASTRE-SE EM NOSSA LISTA!

Receba conteúdo de alto valor em primeira mão no seu email