A importância do ciclo de vida nas empresas familiares

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O paradigma

O dito popular sobre empresas familiares diz: “pai rico, filho nobre, neto pobre”.

Esta “lei” das três gerações na empresa familiar, trata-se de um paradigma que pode ser superado na prática.

Todas as empresas passam por diferentes ciclos de vida que independe das gerações, o que mantem uma empresa viva e em transformação contínua é a capacidade que ela tem de executar as mudanças e adaptações ao longo da sua existência.

Então, os ciclos de vida das empresas familiares estão associados a diversos fatores internos e externos que independem da gestão ou liderança estar na primeira, segunda ou terceira geração.

O respeito

O respeito é chave para sobrevivência das empresas familiares, sua falta gera conflitos, brigas, disputas por poder, desinteresse pela cultura organizacional, dentre outros fatores, que deslocam a energia gerencial para os conflitos e gera paralisia empresarial que impacta os resultados e o crescimento. Há inúmeros casos de empresas familiares de pequeno e médio portes que desaparecem na primeira, segunda e terceira geração por esse motivo.

Os três eixos

Diagnosticar em qual estágio evolutivo encontra-se a empresa familiar sob a ótica dos três eixos, reconhecendo a complexidade existente na tridimensionalidade “família-propriedade-empresa”, além das suas superposições e interseções, ajuda a entender o grau de maturidade e por consequência os gaps, desafios e oportunidades de melhorias que precisam ser implementados.

É comum na empresa familiar que as mesmas pessoas usem “vários chapéus”, ou seja, um familiar pode atuar ao mesmo tempo como sócio, líder da família e presidente da empresa ou do conselho de administração. Mas ainda que tenha os três chapéus, deve reconhecer que cada qual tem papéis e responsabilidades próprias que devem ser usados adequadamente e nos fóruns corretos.

Baseado nos estudos de Kelin E. Gersick et al., Generation to Generation: Life Cycles of the Family Business, 1997, o grupo de Harvard criou um modelo tridimensional que mostra o desenvolvimento temporal da empresa familiar ao longo do tempo, mostrando, em estágios evolutivos, as mudanças em cada um dos três círculos, conforme apresentado na figura a seguir:

Empresas familiares
O Modelo Tridimensional de Desenvolvimento da Empresa Familiar
Fonte: Governança da Empresa Familiar – IBGC

“Diferentes estágios, diferentes questões e desafios”, ou seja, a figura mostra a importância de conhecer o estágio em cada uma das dimensões do modelo tridimensional.

É muito comum nos projetos de profissionalização de empresas familiares a necessidade de primeiro arrumar as questões e desafios do passado, acomodá-los e estabilizá-los com base no diagnóstico das três dimensões, para depois começar a falar sobre o futuro. Essa ação ajuda na sustentabilidade e longevidade das empresas familiares.

A Brasil Valuation nasceu da oportunidade de calcular o valor das empresas e, com tempo vem aprendendo quanto este valor é sensível a capacidade das empresas lidarem com questões de governança e gestão. Entendemos que, quanto menor forem as incertezas/riscos, maior o valor das empresas, e o caminho para isso dar certo é a Profissionalização.

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Brasil Valuation

Somos especialistas em estruturação de empresas e negócios e nosso foco é diminuir riscos e aumentar a assertividade das tomadas de ações de empreendedores e empresas.

Solicite uma reunião gratuita

Você também pode gostar de:

CADASTRE-SE EM NOSSA LISTA!

Receba conteúdo de alto valor em primeira mão no seu email